Suite Superior Bocage
Suite Superior Bocage

Bocage

SUITE SUPERIOR MANUEL DU BOCAGE

{15 de setembro de 1765 {Setúbal, Portugal} – 21 de dezembro de 1805 {Lisboa, Portugal}}

 

Conheça a nossa Suite Superior Manuel du Bocage:

Homenageamos Bocage com um dos nossos quartos de hotel da categoria Suite Superior, com vista para a piscina, no nosso Torel Palace Porto, hotel de luxo no centro do Porto.

 

O quarto foi decorado pela designer Isabel Sá Nogueira, sendo o retrato do autor pintado por Jorge Curval.

Localizado no primeiro piso, é um dos quartos mais espaçosos no nosso palacete e possui cama double ou twin. Um dos fatores mais especiais desta Suite é o cubo gigante, completamente forrado a espelho, plantado no centro do quarto. É neste cubo que encontramos a casa de banho, decorada em mármore.


Suite Superior Manuel du Bocage:

*Uma extraordinária categoria de quarto no hotel mais elegante e romântico do Porto.

  • 49 m2;
  • Cama double/twin;
  • Vista para a piscina;
  • Máquina de café Nespresso;
  • Minibar;
  • Televisão;
  • WiFi gratuito;
  • Ar-condicionado;
  • Secador de cabelo;
  • Cofre;
  • Ocupação: até três pessoas.

 

Veja também os restantes quartos da categoria Suite Superior: Luís de Camões, Camilo Castelo Branco, Ramalho Ortigão, Guerra Junqueiro.

 

Sobre o escritor...

Manuel Maria Barbosa l'Hedois du Bocage foi um importante poeta português do século XVIII.

Bocage teve uma infância difícil, uma vez que o seu pai foi preso quando tinha apenas seis anos, e ficou órfão da mãe aos 10 anos.

Juntou-se ao exército, aos 16 anos; e, posteriormente, à marinha portuguesa, onde viajou pelo Brasil, África, China e Índia.

Em 1790, regressou a Lisboa, onde iniciou a sua vida literária, para a qual se dedicou até à sua morte.

Juntamente com os poetas Camões e Antero de Quental, Bocage faz parte do grupo dos maiores sonetistas líricos portugueses.

 

Algumas das suas principais obras:

  • Morte de D. Ignez de Castro;
  • A pavorosa ilusão;
  • A virtude laureada;
  • Elegia;
  • Improvisos de Bocage.

"De amor os gozos são como o diamante / Que, sem o engaste que tocar-lhe veda, / Perdera a polidez, perdera o brilho.” – Cartas de Olinda e Alzira, Manuel du Bocage.