Classic Florbela Espanca
Classic Florbela Espanca

Florbela Espanca

CLASSIC FLORBELA ESPANCA

{8 de dezembro de 1894 {Vila Viçosa, Alentejo, Portugal} – 8 de dezembro de 1930 {Matosinhos, Porto, Portugal}}

 

Conheça o nosso quarto Classic Florbela Espanca:

No nosso boutique hotel no centro do Porto, Torel Palace Porto, Florbela Espanca é homenageada num dos nossos quartos de hotel da categoria Classic, com cama twin.

 

Localizado no segundo piso, este quarto foi decorado pela designer Isabel de Sá Nogueira.

Juntamente com o quarto de Sophia de Mello Breyner, estes encontram-se revestidos maioritariamente por cor-de-rosa, uma cor suave e elegante, alusiva às escritoras femininas portuguesas. A zona exterior da casa de banho foi decorada em mármore e está inteiramente forrada a espelho, um dos detalhes mais especiais deste quarto.

O retrato da poetisa é da auditoria do artista plástico Jorge Curval.


Quarto Classic Florbela Espanca:

*Uma extraordinária categoria de quarto no hotel mais elegante e romântico do Porto.

  • 23 m2;
  • Cama double ou twin;
  • Máquina de café Nespresso;
  • Minibar;
  • Televisão;
  • WiFi gratuito;
  • Ar-condicionado;
  • Secador de cabelo;
  • Cofre;
  • Ocupação: até duas pessoas.

 

Veja também os restantes quartos da categoria Classic: Sophia de Mello Breyner Andresen, Eugénio de Andrade, Raul Brandão.


Sobre a escritora...

Florbela d'Alma da Conceição Espanca, mais conhecida por Florbela Espanca, foi uma escritora e poetisa portuguesa. Além de ser considerada a grande figura feminina da literatura portuguesa da sua época, foi também uma das primeiras feministas em Portugal.

Conhecida principalmente pelos seus sonetos, Florbela Espanca começou a escrever poemas com apenas com 8 anos, e desde então sempre escreveu sobre amor (e desamor), sofrimento, saudade e solidão. Órfã de mãe aos 13 anos, divorciada, por duas vezes, e vítima de um aborto, a sua vida foi tumultuosa, inquieta e cheia de sofrimentos, que lhe serviram de inspiração para a sua poesia.

Matriculou-se na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, sendo das poucas mulheres entre centenas de alunos inscritos.  A sua primeira obra, Livro de Mágoas, foi um êxito, esgotando-se rapidamente.

Após a morte do seu irmão, num acidente de carro, Florbela tentou o suicídio várias vezes. O desespero agravou-se após ser diagnosticada com um edema pulmonar, falecendo no dia do seu 36º aniversário por uma overdose.

Florbela Espanca tem várias homenagens. Em Matosinhos, no Porto, cidade onde a poeta viveu, esta foi homenageada com uma biblioteca, à qual deram o seu nome. Em 1949, a Câmara Municipal de Lisboa homenageou a poetisa, dando o seu nome a uma rua em Alvalade. Além disso, os seus versos influenciaram vários poetas, alguns homenageando-a nas suas próprias obras. Fernando Pessoa descreve-a como uma “alma sonhadora/Irmã gémea da minha!”.

 

Algumas das suas principais obras:

  • Livro de mágoas (1919);
  • Charneca em flor (1930);
  • Sonetos completos (1934).

“Ama-se quem se ama e não quem se quer amar.” – Correspondência, Florbela Espanca.