Suite Superior Guerra Junqueiro
Suite Superior Guerra Junqueiro

Guerra Junqueiro

SUITE SUPERIOR GUERRA JUNQUEIRO

{15 de setembro de 1850 {Bragança, Portugal} – 7 de julho de 1923 {Lisboa, Portugal}}

 

Conheça a nossa Suite Superior Guerra Junqueiro:

No nosso Torel Palace Porto, boutique hotel no centro do Porto, homenageamos Guerra Junqueiro num dos nossos quartos de hotel da categoria Suite Superior, com varanda e vista para a piscina.

A Suite, decorada pela designer Isabel Sá Nogueira, situa-se no terceiro e penúltimo piso do palácio, e é um dos quartos mais espaçosos no nosso palacete.

Uma das particularidades desta Suite é o cubo gigante, fixado no centro do quarto. É neste cubo, inteiramente forrado a espelho, que se encontra a casa de banho, decorada em mármore.


Suite Superior Guerra Junqueiro:

*Uma extraordinária categoria de quarto no hotel mais elegante e romântico do Porto.

  • 49 m2;
  • Cama double ou twin;
  • Vista para a piscina;
  • Varanda;
  • Máquina de café Nespresso;
  • Minibar;
  • Televisão;
  • WiFi gratuito;
  • Ar-condicionado;
  • Secador de cabelo;
  • Cofre;
  • Ocupação: até três pessoas.

 

Veja também os restantes quartos da categoria Suite Superior: Bocage, Luís de Camões, Camilo Castelo Branco, Ramalho Ortigão.


Sobre o escritor...

Abílio Manuel Guerra Junqueiro foi funcionário administrativo, político, deputado, jornalista e poeta português. Foi considerado o “Victor Hugo português” e, por muitos, o maior poeta social português da sua época.

Junqueiro foi aluno de Direito da Universidade de Coimbra até 1873, altura em que começou a demonstrar talento para a poesia. Em 1874, publicou “A Morte de D. João”, obtendo um enorme sucesso e recebendo elogios de escritores notórios como Camilo Castelo Branco e Joaquim Pedro de Oliveira Martins.

Além de poeta, foi uma personagem politicamente ativa na instauração da república portuguesa. A sua poesia refletia um profundo descontentamento do autor com a decadência de Portugal e a sua oposição à monarquia, ajudando a criar o ambiente revolucionário que conduziu à implantação da República.

Ao longo da sua vida, obteve reconhecimento não só a nível nacional, mas também internacional. Vários escritores manifestaram admiração pela sua escrita, como Eça de Queiroz, que o considerou “o grande poeta da Península”, Fernando Pessoa, que classificou Pátria uma obra “superior aos Lusíadas” e Miguel de Unamuno, escritor espanhol, que o considerouum dos maiores poetas do mundo”. Hoje, o centro cultural Casa-Museu Guerra Junqueiro, no Porto, honra a memória deste famoso escritor.

 

Algumas das suas principais obras:

  • A morte de D. João (1874);
  • Contos para a infância (1875);
  • A musa em férias (1879);
  • Pátria (1915).

“Ser alegre é ser forte. A força é uma alavanca” – A morte de D. João, Guerra Junqueiro.