Suite Junior Júlio Diniz
Suite Junior Júlio Diniz

Júlio Diniz

SUITE JUNIOR JÚLIO DINIZ

{14 de novembro de 1839, Porto, Portugal} – 12 de setembro de 1871 {Porto, Portugal}}

 

Conheça a nossa Suite Junior Júlio Diniz:

Júlio Diniz é enaltecido no Torel Palace Porto através de um dos nossos quartos de hotel da categoria Suite Junior, tendo vista para a piscina e uma cama twin/double.

    

Localizado no primeiro piso, uma das características mais especiais desta Suite do Torel Palace Porto, hotel de luxo no centro do Porto, é o cubo gigante. Este cubo, localizado no centro do quarto, encontra-se totalmente forrado a espelho, e é onde se situa a casa de banho, decorada em mármore.

A decoração da Suite é da autoria de Isabel Sá Nogueira e Jorge Curval.


Suite Junior Júlio Diniz:

*Uma extraordinária categoria de quarto no hotel mais elegante e romântico do Porto.

  • 39 m2;
  • Cama double ou twin;
  • Vista para a piscina;
  • Máquina de café Nespresso;
  • Minibar;
  • Televisão;
  • WiFi gratuito;
  • Ar-condicionado;
  • Secador de cabelo;
  • Cofre;
  • Ocupação: até duas pessoas.

 

Veja também os restantes quartos da categoria Suite Junior: Padre António Vieira, Antero de Quental, Miguel Torga, Mário de Sá-Carneiro.


Sobre o escritor...

Joaquim Guilherme Gomes Coelho, mais conhecido pelo pseudónimo Júlio Diniz, foi um escritor e médico português. É considerado um dos mais importantes romancistas portugueses e um grande contribuidor para a criação do Romance Moderno em Portugal.

Júlio Diniz licenciou-se em Medicina, mas a sua saúde foi-se agravando, impedindo-o de exercer a sua profissão. Mais tarde, foi professor universitário, mas dedicou-se sobretudo à Literatura. Morreu com apenas 31 anos, vítima de tuberculose pulmonar, a mesma doença que havia tirado a vida à sua mãe e, posteriormente, aos seus oito irmãos. O escritor pode ser considerado como um escritor de transição, situando-se entre o fim do Romantismo e o início do Realismo.

 

Algumas das suas principais obras:

  • As pupilas do senhor reitor (1867);
  • A morgadinha dos canaviais (1868);
  • Uma família inglesa (1868);
  • Os fidalgos da casa mourisca (1871);
  • Poesias (1873).

Beijos e abraços quanto mais às claras, menos perigosos são. Daqueles que se dão às escondidas é que é o ter medo.” - As pupilas do senhor reitor, Júlio Diniz.