História

Conheça a história do Torel Palace Porto e como tudo começou!

Situado em pleno coração da cidade do Porto, no Palacete Campos Navarro, um notável exemplo da arquitetura romântica portuense, o conceito deste hotel é inspirado na literatura, com nomes de escritores e poetas portugueses a batizarem cada um dos 24 quartos e suites deste luxuoso hotel boutique de 5 estrelas.

O palácio, a história e a arquitetura do Torel Palace Porto

Localizações de exceção, casas e palacetes de uma beleza clássica, elegância e charme são atributo das propriedades do grupo Torel Boutiques e este não podia ser diferente. Erigido em 1861, o Palacete Campos Navarro “é um dos mais interessantes exemplares de arquitectura civil do terceiro quartel do século XIX. Trata-se de um típico palacete burguês do Porto romântico, e um dos mais célebres à época, mantendo ainda muitas das características do referido período”.   (Francisco Queiroz, O Palacete Campos Navarro: uma casa entre paredes).


Este palacete pertenceu à Família Campos Navarro, que o contruiu de raiz. Exportadores de tecidos, vinho, azeite e cereais, entre outros produtos, foi o negócio que lhes trouxe fortuna e permitiu contruir este palacete que é, justamente, um tributo à riqueza dos produtos que comercializavam. A clarabóia que coroa o topo do edifício de quatro pisos possui oito painéis, quatro com motivos florais e os outros quatro que reúnem os símbolos com os quais a família se identifica: Mercúrio, deus romano do Comércio; a Alegoria da Indústria; Minerva, deusa das Artes e da Ciência, e a Alegoria da Navegação.

No 1o andar, à medida que se abrem as portas dos quartos, descobrem-se os tectos riquíssimos, trabalhados em estuque, com os retratos de ilustres escritores e poetas portugueses como Luís de Camões, Manuel du Bocage, Almeida Garrett e Alexandre Herculano.


Os interiores do Torel Palace Porto

O projeto de interiores foi entregue a Isabel Sá Nogueira, que já colaborou noutros hotéis do grupo, entre os quais o projeto do Torel Palace Lisboa, assim como as áreas comuns e alguns quartos do Torel Avantgarde.

No Torel Palace Porto, a questão de base foi conciliar as características do edifício e o seu estilo clássico com o conforto e comodidade da decoração contemporânea.

Os espaços comuns foram pensados de modo a respeitar a história e antiguidade do palacete, criando um espaço atual. Nesse sentido, a estrutura arquitetónica foi mantida, sendo a intervenção mais ao nível dos móveis, das cores e da iluminação, com a intenção de realçar a beleza do palacete e restaurar o seu esplendor, como se pode ver no lobby, na escadaria ou na clarabóia que é, sem dúvida, o ex-libris do hotel.

Na decoração dos quartos, os retratos pintados por Jorge Curval revelam a identidade dos autores que dão o nome a cada quarto.

Mas o elemento mais surpreendente, e que entra em ruptura com tudo o resto, são uns cubos gigantes, inteiramente forrados a espelho, plantados no centro de alguns dos quartos. Parecem uma instalação artística, provocando um jogo de imagens refletidas que pode confundir os menos atentos, mas têm uma função muito precisa: são as casas de banho. Os seus interiores são revestidos a mármore de tipos e cores muito variados.


Quanto ao restaurante e à esplanada, situados no piso térreo que dá para as traseiras, onde se descobre um terraço surpreendente, a ideia foi manter a linha do projeto mas com uma escolha de materiais mais atual e versátil de forma a ser um espaço que se transforma ao longo do dia e serve desde o pequeno-almoço ao jantar. No bar e no restaurante, a luz ténue e os materiais mais escuros dão sofisticação e ambiente ao jantar, durante o dia são banhados pelo sol que entra pelo terraço.